As capas icônicas da revista New Yorker

Por Andrei W. Müller, | Categoria: Sem categoria

capas New Yorker

Apesar de refletir os acontecimentos culturais do dia, o interior da revista New Yorker continuou praticamente inalterado por mais de oito décadas. Enquanto a capa serviu como uma tela em constante mudança, a simplicidade e a clareza do interior permaneceu o mesmo, fazendo com que fosse um dos designs de revistas mais bem sucedidos do século XX. O original grid de três colunas do interior da revista foi criado pelo primeiro diretor de arte, Rea Irvin, que não queria nada entre o leitor e o texto.

A forte tradição da ilustração na capa da New Yorker também foi cuidadosamente cultivada. A diretora de arte Françoise Mouly descreve as capas como “um retrato instantâneo do que importa para as pessoas sofisticadas e urbanas – suas atitudes, preconceitos, maneirismos e piadas”. As ilustrações de capa de Saul Steinberg (87 durante sua vida e 6 póstumas) são as melhores desde o início da publicação. “View of the World from Ninth Avenue” (também conhecida como “A Parochial New Yorker’s View of the World”), criada para a edição de 29 de março de 1976 e é a mais famosa de todas, sendo reproduzida e pirateada muitas vezes. A ilustração mostra uma perspectiva autocentrada do nova-iorquino sobre a nação e o mundo a partir da posição estratégica do lado oeste de Nova Iorque. 

new yorker capas

Fonte:
The Phaidon Archive of Graphic Design: ID E028

Além de Steinberg, o mais conhecido e provocativo artista de capa foi Art Spiegelman, cujos desenhos (de 1992 a 2003) frequentemente apresentavam caricaturas. Uma imagem do cartunista Jack Cole, por exemplo, mostrava-o vestido como sua criação Plastic Man, com um pescoço absurdamente alongado, examinando um retrato distorcido de Picasso. 

A capa mais famosa de Art Spiegelman foi sobre o 11 de setembro, que mostra dois retângulos pretos quase invisíveis contra um fundo todo preto – uma imagem que tenta transmitir o significado do desastre sem descrever seu horror. A revista frequentemente estampa as ilustrações simples, brilhantes e coloridas de Christoph Niemann, destacando questões culturais e políticas, às vezes sutilmente amargas: uma capa mostrando um exército de aviões, tanques e navios de combate feitos com os papéis das declarações de impostos dos americanos reflete o custo da guerra. 

Ao dar uma plataforma proeminente aos artistas, a New Yorker demonstra sua crença na relevância permanente da ilustração. Spiegelman e Niemann usaram a prática para combinar gravuras com astutos comentários sociais e políticos.

Primeira edição

A primeira edição da revista New Yorker foi lançada em 21 de fevereiro de 1925, com tiragem semanal. Unindo reportagens, cultura, humor e política, a revista é reconhecida por suas capas icônicas com referências culturais. A primeira ilustração da capa, feita pelo artista Rea Irvin, mostra um cavalheiro com monóculo observando uma borboleta e já se tornou parte da cultura pop, sendo referenciada por diversos outros artistas desde sua publicação. 

primeira edição New Yorker

Fonte:
The Phaidon Archive of Graphic Design: ID E028

Em 2015, no aniversário de 90 anos da revista, foram publicadas 9 capas, uma para cada década, com ilustrações feitas por 9 artistas convidados para recriar o desenho da primeira edição. Nelas, o mascote foi trocado por desenhos de mulheres e por figuras olhando o celular, em vez de observar a borboleta, como uma atualização para os dias atuais.