A tipografia de Edward Johnston para o metrô de Londres

Por Andrei W. Müller, | Categoria: Sem categoria

Saiba mais sobre a história da criação do “the roundel”, o símbolo do metrô de Londres que se tornou um dos mais famosos do mundo.

Inalterado desde que Edward Johnston fez a adaptação do original em 1918, o símbolo circular do metrô de Londres conhecido como “the roundel” (medalhão) se tornou um dos mais famosos e duradouros ícones já criados.

Em 1908 Frank Pick, diretor do London Underground, recebeu a responsabilidade de planejar a publicidade e o sistema de sinalização do metrô. Ele imediatamente começou a melhorar a imagem pública da empresa ao incluir pôsteres ilustrados, garantindo que estavam dispostos de forma organizada e rigorosamente arrumada, e encomendando uma família tipográfica e um logotipo para todos os sinais e materiais impressos. Ao observar a qualidade do trabalho com lettering de Eric Gill nas estantes de livros de W. H. Smith, especialmente nas plataformas da estação rodoviária, ele buscou uma solução parecida para o Underground.

Gill, no entanto, estava muito ocupado para assumir a tarefa, que chegou até o calígrafo Edward Johnston. Assim, em junho de 1916 ele entregou uma versão em maiúsculas do que se tornaria a fonte Johnston Sans, seguida por uma versão completa com as letras minúsculas no próximo mês.

Nos anos seguintes, Johnston continuou a refinar e modificar a família tipográfica, acrescentando uma versão em negrito em 1929. A fonte passou a ser utilizada em todos os pôsteres baseados em texto do Underground, e foi empregado aos poucos em pôsteres ilustrados com alguns artistas preferindo desenhar suas próprias letras.

Pick também pediu a Johnston para redesenhar o logotipo da empresa – que desde 1907 consistia em um círculo vermelho cortado por uma barra azul horizontal com os nomes das estações em uma fonte plana, branca e sem serifa – tornando-a adaptável para outros usos. O logo original, feito por um designer desconhecido, foi pioneiro pela sua geometria simples, arrojada e colorida.

Johnston apenas trocou o círculo para um anel vermelho cortado por uma barra azul escura e substituindo a palavra “Underground” pela sua própria fonte, Johnston Sans, e aumentando as letras “U” e “D”. A nova tipografia, que era ligeiramente maior do que as outras fontes sem serifa para materiais impressos, incluindo o logo original, também se adaptou bem a todo o sistema de sinais do metrô.

Mais tarde, o símbolo também seria utilizado nas placas com os nomes das estações, bondes e paradas de ônibus.

tipografias
The Phaidon Archive of Graphic Design

O símbolo do London Underground

A tipografia criada por Johnston se tornou famosa e até hoje o “roundel” vermelho e azul é reconhecido com um símbolo de Londres. Ao criar a fonte, a legibilidade foi um dos aspectos mais importantes, já que o desenho seria reproduzido em todas as estações e avisos relacionados ao London Underground.

Por isso, é necessário que a tipografia tenha fácil leitura, para que as pessoas possam identificar o conteúdo e entender o que está escrito a longas distâncias enquanto se movimentam dentro das estações.

Mesmo tendo uma aplicação principalmente funcional para garantir a praticidade dos usuários, a tipografia Johnston Sans e o símbolo do London Underground foram incorporados ao dia a dia das pessoas. Assim, aliados ao aviso “Mind the gap”, também presente no metrô londrino, se tornou um dos ícones da cidade e são reconhecidos em várias partes do mundo.