A evolução da Pirelli ao longo das décadas

Por Andrei W. Müller, | Categoria: Sem categoria

A Pirelli, famosa marca italiana de pneus, trouxe ao longo dos anos alterações tanto em seu logotipo clássico, quanto na ideologia de seu consagrado calendário.

O logotipo da Pirelli, com seu distinto “P” esticado no comprimento da palavra, transmite com elegância e economia as qualidades essenciais — elasticidade e estabilidade — do seu produto mais conhecido.

Embora algumas renovações iniciais tenham sido menos simplificadas e as fontes mais decorativas, o “P” esticado se manteve desde a primeira aparição do logo, no começo do século 20.

A Pirelli

Fundada em Milão no ano de 1872, pelo jovem designer Giovanni Battista Pirelli, a famosa companhia italiana Pirelli surgiu com a finalidade de produzir pneus e cabos.

De acordo com a história, o símbolo foi proposto por um representante da empresa, que, ao chegar em Nova York, em 1908, foi convidado a criar um design que se destacasse em meio à infinidade de símbolos na cidade.

Nas versões mais antigas do logotipo, o “P” era mais arredondado e gordo, sendo, até então, uma maneira apropriada para sugerir as propriedades de velocidade e maciez do produto. Uma vez que a Pirelli foi a fornecedora de pneus do Rali Pequim-Paris, uma longa viagem de carro que partiu de Pequim, na China, rumo a Paris. 

Entretanto, com o passar dos anos a tipografia foi sendo modificada para uma mais simples e sem serifa. 

O “P” também passou por alterações. Sua curva foi alongada e achatada, até a letra finalmente se encaixar na forma clássica de 1946 — um “P” na posição vertical com eixos verticais e horizontais pronunciados.

Pirelli

Fonte: The Phaidon Archive of Graphic Design: ID G012

O Calendário Pirelli

Nos anos 1960, a subsidiária britânica da Pirelli lançou o famoso calendário de nudez como uma estratégia de marketing para se destacar da concorrência doméstica.

O “The Cal”, como é chamado informalmente, surgiu em 1964 como uma forma de brincar com a tradicional associação que os homens fazem dos automóveis com o corpo feminino.

Após dez anos de produção, a publicação dos calendários viria a ser temporariamente interrompida — durante o ano de 1974.

Desde a idealização do projeto, em 1964 até 2019, já foram lançadas 46 edições do Calendário Pirelli, produzidas por 36 fotógrafos diferentes.

Tanto para a produção dos calendários, quanto para as campanhas publicitárias, a Pirelli contratou muitos artistas influentes e fotógrafos experientes. Dentre as personalidades estão nomes como Max Huber, Bruno Munari, Armando Testa, o artista de pop britânico Allen Jones e a fotógrafa americana Annie Leibovitz.

Durante 1994 e 1995, Annie Leibovitz produziu o que viria a ser o mais icônico de todos os anúncios da marca, uma fotografia do então corredor olímpico Carl Lewis usando sapatos de salto vermelhos.   

Ao longo das décadas o calendário da Pirelli alterou sua estética e ideologia, deixando de lado a nudez sexualizada das mulheres e apresentando discursos cada vez mais engajados e modernos.

As edições mais recentes do “The Cal” trouxeram ao longos dos 12 meses mulheres ativistas, embaixadoras da ONU, atletas, humoristas e demais personagens inspiradoras.

Estética e Design

Por ser uma companhia italiana com sofisticada valorização estética e senso de design, a Pirelli sempre soube valorizar a arte de qualidade, utilizando de maneira inteligente e não mais sexualizada, o corpo feminino.

Essas características da empresa se evidenciaram ao longo dos anos, tanto em sua marca registrada, quanto em sua publicidade marcante, fazendo da Pirelli uma das companhias mais conhecidas do mundo.