Sharbat Gula

Por diandra, | Categoria: Fotografia

 A foto da menina afegã foi registrada em um campo de refugiados no Paquistão 

Steve McCurry, o fotógrafo da National Geographic, foi designado para cobrir o caso de muitos orfãos forçados a migrar para um campo de refugiados no Paquistão, durante a guerra soviética no Afeganistão.  Com os rolos de filmes consturados ao tecidos de seu disfarce de ”habitante local”, surgiu a oportunidade rara de fotografar mulheres afegãs sem a burca.

McCurry aproveitou o momento e registou a foto de uma menina afegã com os olhos verdes fixados na câmera, uma fotografia que acabou por se tornar uma das mais reconhecidas de toda a história da National Geographic. No entanto, a identidade da menina afegã permaneceu desconhecida por quase duas décadas, devido a proibição da imprensa ocidental no Afeganistão por causa do regime Taliban. Steve McCurry tentou localizá-la por vários anos, sem sucesso.

 

No entanto, em 2002, após a queda do Taliban, a equipe da NG fez uma investigação para descobrir o paradeiro da afegã. Através de um exame de biometria, foi possível realizar um encontro entre foto e fotógrafo.

Sharbat Gula, o nome verdadeiro da menina afegã, tinha apenas 12 anos quando McCurry revelou seus profundos olhos verdes para todo o mundo. Duas décadas após a fotografia, Steve registrou uma atual, em comparativo com a menina. Apesar do tempo, Sharbat Gula ainda possui o olhar marcante e o mesmo formato de rosto.

Nascida em 1972, Sharbat Gula teve que migrar para um acampamento de refugiados no Paquistão, a área onde morava tinha sido afetada pela guerra soviética. Com apenas 12 anos, sua fotografia se tornou o símbolo entre os conflitos no Afeganistão e também da situação de refugiados em todo o mundo.

A fotografia ganhou reconhecimento internacional, no entanto, a vida de Sharbat Gula continuou anônima no ambiente em que vive. Casou-se, teve três filhos e trabalhava em uma padaria. Até o encontro com o homem que registrou sua foto, a mulher não tinha ideia do impacto que a fotografia causou no Ocidente

Recentemente, Sharbat Gula voltou a ser noticiada na imprensa internacional. A mulher residiria no Paquistão com falsos documentos de identificação. Apesar de mais de 30 anos terem passado da icônica fotografia, Sharbat continua sem um lugar para chamar de lar. Quando um repórter da agência AFP, a procurou no endereço que constava em seu documento de identificação, a casa já estava vazia. Vizinhos contaram que Sharbat e a família tinham ido embora mais uma vez.