Nas engrenagens do Steampunk

Por Riven Melito, | Categoria: Literatura

São Paulo, 2013 d.C., na mais conhecida avenida do país, a Paulista. O relógio do canteiro central faz um som de batida metálica e derruba a placa que indica a virada de outro minuto. Agora são 22:59, e o ruído das rodas no asfalto confunde-se com os mecanismos dos motores a vapor, liberando fumaça em ciclos. Aproximo-me do ponto de ônibus no exato momento em que este faz sua parada e o motorista aciona o pistão a ar para abrir a porta.

Espera. Como assim? Parece que tem algo estranho no ar. É fumaça. Mas não é a fumaça tóxica que conhecemos. Tem cheiro de… carvão? As texturas parecem de ferro fundido, não há plástico, não há telas digitais. mas há vidro. Rodas dentadas, pistões, correias, e a eletricidade é limpa, engenhosa, lado a lado com velas e fogueiras para manter o calor próximo.

Steampunk, baby. Já conhecia? É um movimento / estilo de vida que já circula em nossa sociedade a muito tempo. Existem registros de elementos steampunk na literatura que vêm desde 1950 ou 1960. Mas o termo propriamente que define este movimento foi publicado pela primeira vez em 1987, quando o escritor de ficção científica K. W. Jeter envia uma carta para a revista Locus (que publicava seus trabalhos) referindo-se ao estilo que ele e outros escritores estavam desenvolvendo como ‘Steam-punk’. E então foi disseminado o nome.

Ok, mas dá pra explicar o que é Steampunk? Claro, e não é nem um pouco complicado. De acordo com a wikipédia é um sub-gênero de ficção científica e ás vezes fantasia que incorpora em sua criação elementos de maquinários industriais a vapor e tecnologia típica do século 19, bem como o design e a estética da época. Um exemplo seria existirem ainda dirigíveis com hélices e motores a vapor circulando em todas as grandes cidades servindo como serviço de transporte público. Mais louco que o Batman, certo?

Mas é muito interessante, devemos concordar. Veja a imagem abaixo e diga-me se concorda:

Justin _Yun_lanterncity_concept

Este é um ‘concept’ do artista Justin Yun para a (possível) série de tv Lantern City, que seria uma série no estilo steampunk. A idéia é boa e tem muita gente qualificada envolvida. Tomara que dê certo, pois o projeto é ambicioso e poderia ser algo interessante, mas vamos falar sobre isto em um post mais para a frente.

A idéia aqui é explicar o que é steampunk. Acho que conseguimos captar a imagem, certo? Algo como se a era industrial e vitoriana ainda estivessem entre nós no século 21. E como em tudo o que é hype, tem sempre um monte de gente que decide viver a experiência, não apenas ler sobre ela. Existem grupos que se reúnem para celebrar o movimento devidamente ‘montados’ para a ocasião. Algo como um zombie walk, mas com engrenagens e fumacê. O que importa é a ambientação.

gaslight_gathering_01 gaslight_gathering_06 gaslight_gathering_05 gaslight_gathering_04 gaslight_gathering_03 gaslight_gathering_02

E é claro, toda essa inspiração vem de diversas fontes. Obviamente, os conceitos originais foram encontrados em trabalhos como de Julio Verne e H.G. Wells, que mesmo sem querer inseriram as bases para o desenvolvimento deste estilo, que foi então incorporado em trabalhos como dissemos antes, de Tim Powers, James Blaylock e K. W. Jeter (em torno de 1980/1990), que escreviam sobre um mesmo ambiente ao mesmo tempo, e trouxeram á vida a visão do mundo steampunk.

Livros_de_HGwells   Livro_Julio_verne

E depois disso, pode-se encontrar o estilo em praticamente todos os meios criativos. Arquitetura, pintura, ilustração, jogos, cinema, quadrinhos, onde quer que seja.

O Café Truth, na Cidade do Cabo, totalmente steampunk

O Café Truth, na Cidade do Cabo, totalmente steampunk

Estação de metrô em Paris, que serve á faculdade de artes Arts et Métiers, totalmente em estilo steampunk, criada por François Schuiten

Estação de metrô em Paris, que serve á faculdade de artes Arts et Métiers, totalmente em estilo steampunk, criada por François Schuiten

Linha masculina steampunk da marca Prada

Linha masculina steampunk da marca Prada

O filme Wild Wild West (1999) tem óbvias referências ao estilo steampunk

O filme Wild Wild West (1999) tem óbvias referências ao estilo steampunk

O jogo Rise of Legends: Rise of Nations é claramente inspirado no estilo

O jogo Rise of Legends: Rise of Nations é claramente inspirado no estilo

O jogo Bioshock Infinite, que pode não ter exatamente uma história steampunk, mas que com certeza bebe muito da ambientação e estética do estilo

O jogo Bioshock Infinite, que pode não ter exatamente uma história steampunk, mas que com certeza bebe muito da ambientação e estética do estilo

Caitlyn

A personagem Caitlyn, do jogo League of Legends é inspirada inteiramente no movimento steampunk

Becky Lynch

Até mesmo no universo da WWE existe um personagem steampunk. Esta é Becky Lynch, e suas influências são bem óbvias, não concorda?

E no mundo dos quadrinhos, a divertidíssima série webcomic Girl Genius, que vale totalmente a pena ler

E no mundo dos quadrinhos, a divertidíssima série webcomic Girl Genius, que vale totalmente a pena ler

Uau, quanta coisa. E ainda tem mais. Vamos voltar a falar sobre steampunk em outros posts, trazendo mais informação interessante sobre o que está sendo feito com essa estética. Até lá.

Riven tem a arte como motivadora, a música como inspiração e o planejamento como instituição. Esta junção dos dois hemisférios do cérebro garantem uma abordagem diferenciada e eficiente na resolução de tarefas e problemas.