Milton Glaser

Por Luiz Fernando, | Categoria: Design

Glaser começou sua trajetória na arte aos 13 anos quando participou das primeiras aulas com Moisés e Raphael Soyer, em Nova York .

Anos depois passou por escolas como a Escola Superior de Música e Arte e Cooper Union, ambas em Nova Yorque. Logo após passou dois anos (1952-3) na Accademia di Belle Arti, Bologna, trabalhando com Giorgio Morandi com o objetivo de se tornar um artista de histórias em quadrinhos.

Apesar de ter se distanciado de seu objetivo primário, o desenho permaneceu como ponto central para a sua subsequente carreira como design gráfico.

As primeiras influências do artista foram das impressões de Félix Valloton e a decoração Art Nouveau, sendo também admirador do dom de Picasso para trabalhar tanto com o abstrato quanto com o realista.
Em 1954, juntamente com Seymour Chwast, Edward Sorel e Reynold Ruffins fundou a Push Pin Studios e com isso tornou-se fundador-editor da revista “Empurre Pin Graphics.
A partir dos anos 60 e meados dos anos 70, a Empurre Pin Graphics dominou a publicidade e a mídia de impressão fazendo com que o designer se torna-se algo como um culto da moda.

Glaser era um grande defensor da reintrodução de estudos básicos de desenho em faculdades de arte e foi responsável pela reestilização de uma série de revistas americanas e europeias para uma arte mais contemporânea. Entre 1968 e 1976, foi diretor de arte da revista New York, que ajudou a introduzir.

Em meados da década de 1970, Glaser deixou de comandar a Push Pin Studios para seguir seu novo interesse por móveis, produtos de consumo e design de interiores, bem como ampliar o seu envolvimento na impressão. De 1975 a 1977, ele foi vice-presidente e diretor de design do jornal Village Voice, de Nova York.
Entre as numerosas obras produzidas por Glaser, o artista foi responsável pelo programa gráfico do complexo “Rainbow Room” para o edifício Rockefeller Center, em Nova York, no ano de 1987.