Black Mirror uma visão negativa da tecnologia e seus avanços

Por Lucas Rufino, | Categoria: Televisão

Eu aposto que você que está lendo este texto hoje quando acordou, não desligou o seu despertador como faziam os seus avós. Você desativou essa função no seu smartphone, conferiu se recebeu algum e-mail, verificou as mensagens não lidas no WhatsApp, navegou nas suas redes sociais e aí sim levantou. O uso diário de novas tecnologias já é parte do nosso cotidiano e se você é uma dessas pessoas que adora qualquer novidade neste segmento, você precisa assistir a Black Mirror.

A série uma produção inglesa distribuída pela Endemol têm duas temporadas, cada uma com três episódios e um especial de Natal com o ator Jon Hamm, conhecido pelo seu papel como o publicitário Don Draper da série Mad Men. Ganhadora de um Emmy internacional de melhor minissérie em 2012, a gigante do streaming Netflix disponibilizou todos os sete episódios em 2015 e interessada na continuação de Black Mirror contratou mais 12 episódios que estão programados para serem produzidos e exibidos ainda em 2016.

Criada por Charlie Brooke em 2011, a série destaca-se pela ousadia. Cada episódio conta uma história independente da outra, nada se repete, cenários, elencos, diretores e personagens são diferentes, porém todas possuem um elo em comum, a discussão de como os avanços tecnológicos e a forma como são utilizados podem impactar a vida.

Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, seu criador explicou o nome da série “Se a tecnologia é como uma droga – e ela parece com uma droga – quais são precisamente os efeitos colaterais? Essa área entre o prazer e o desconforto é onde Black Mirror, minha nova série dramática, está situada. O “espelho negro” do título é aquele que você irá encontrar em cada parede, em cada mesa, na palma de cada mão: a fria e brilhante tela de uma TV, monitor, smartphone.”

Um dos melhores episódios que demonstra essa visão do seu criador é o terceiro da primeira temporada denominado The Entire History of You. Onde Liam um advogado desempregado e prestes a entrar em um grande escritório, participa de um jantar com um grupo de amigos da sua mulher e começa a desconfiar de alguns fatos. Para comprovar suas dúvidas, Liam utiliza-se de um implante de memória que permite reviver tudo o que já aconteceu em sua vida, sejam essas lembranças boas ou ruins.

Black Mirror além de entreter estimula os seus espectadores a refletir sobre como pretendem viver em um futuro breve e cada vez mais tecnológico.