A arte evolui? O desenvolvimento da gravura e impressão

Por Riven Melito, | Categoria: Arte

A resposta é simples. Sim. Mas ainda assim, pretendemos não entendê-la, ou tentar torná-la uma “muleta intelectual” para fazer com que pareçamos mais espertos do que realmente somos. E este artigo é mais pessoal do que você pensa.

Sou artista, formado em Gravura na Escola de Belas Artes do Paraná, que hoje já nem tem bem esse nome. E durante minha vida inteira, ouvi pessoas justificando não irem ao museu, galerias, ou qualquer coisa relacionada a arte, com o fato de que não entendem arte. Sério, se eu ganhasse um real toda vez que ouço isso, eu teria muuuuitos reais. Não é só (a meu ver) uma questão de entender ou não aquele quadro exposto ali na parede. Eu vejo de duas formas: existe a arte fácil e a difícil. E por incrível que pareça, a arte fácil constitui aproximadamente 98% de tudo que você vê. Ou acha que Van Gogh queria que você ficasse 15 minutos em frente ao seu quadro, analisando todas as pinceladas e significados obscuros no seu trabalho, quando ele provavelmente estava tão alucinado ao pintar que não lembrava nem o que tinha de café da manha. Sempre disse e repito: abaixo o romantismo na arte!

Quarto em Arles, de Van Gogh: estaria ele refletindo sobre a estruturalização humana em correspondência à sociedade opressora, ou estava sem nada pra pintar e decidiu pintar o quarto onde dormia?

Quarto em Arles, de Van Gogh: estaria ele refletindo sobre a estruturalização humana em correspondência à sociedade opressora, ou estava sem nada pra pintar e decidiu pintar o quarto onde dormia?

 

Ok, parece amargura falar desta forma. Tentar ser um artista no mundo de consumismo em que vivemos é complicado. Mas ser artista para começo de conversa não é todo o glamour que se atribui. Vamos voltar aos livros de história, e você verá que o termo “artista” veio do renascimento, lá pelos idos de 1500. Antes disso, éramos todos artesãos, ou seja, pessoas pagas para produzir objetos de acordo com o que o Dotô queria. Passe 10 anos trabalhando de estagiário para Michelângelo e você aprenderia o ofício. Na verdade até hoje isso acontece. Leia meu post sobre Damien Hirst.

 

Mas vamos voltar à evolução da arte. Existem inúmeros exemplos de como a arte evolui. e até o próprio conceito de arte evoluiu. A gravura foi uma invenção com o intuito de criar imagens que pudessem ser copiadas facilmente. Se a princípio cada ilustração deveria ser copiada manualmente, qual seria o trabalho em se copiar bibliotecas inteiras? Dê uma olhada no google sobre o termo “Iluminuras”, e se puder, leia ou assista algo sobre os antigos mosteiros e abadias, onde os padres passavam o dia copiando livros manualmente.

E então veio a impressão gráfica, e fazer cópias de livros se tornou muito mais rápida e fácil, e não necessitávamos mais de que padres ficassem cegos por desenhar e escrever a luz de velas dos anos. Da mesma forma, quando a gravura foi criada, pudemos então copiar as ilustrações, veja que coisa maravilhosa!

Exemplo de ilustração e iluminuras em livro antigo. Quantas cópias você acha que existem de uma obra original daquela época?

Exemplo de ilustração e iluminuras em livro antigo. Quantas cópias você acha que existem de uma obra original daquela época?

 

O advento da impressão e o papel das gravuras na reprodução de imagens. Obrigado Guttemberg, mas o que os padres cegos vão fazer da vida agora?

O advento da impressão e o papel das gravuras na reprodução de imagens. Obrigado Guttemberg, mas o que os padres cegos vão fazer da vida agora?

 

É claro que quando apresentamos algum tipo de evolução ou técnica nova em qualquer ramo, surgem sempre aqueles nomes que se destacam por dominar as técnicas, ou por desenvolver habilidades e uma visão exclusiva, original. Sabemos hoje que a impressão surgiu antes no Japão, mas ainda assim Guttemberg foi o responsável por nos apresentá-la. Mas utilizando-se de técnicas de gravura e cópia grandes nomes da arte hoje podemos estudar. Vou repetir: não fique procurando sentidos obscuros, apenas curta as lindas imagens.

Conitnuando, como a arte evoluiu, de um cópia manual para uma produção em série. E depois, com o advento da fotografia, a captura de imagens reais evoluiu ainda mais. Porque um burguês iria pagar um pintor para fazer um quadro, passar horas posando com a família e esperar meses até que a pintura ficasse pronta, se era só chamar um fotógrafo, tirar a foto e em alguns dias, ela já está na parede. Imagine isso hoje então, com smartphones e todo mundo tirando foto a torto e direito? O trabalho de um fotógrafo hoje se torna quase arte, assim como o pintor se tornou artista a séculos atrás. As técnicas de impressão hoje permitem reproduzir quaisquer desenhos com perfeição, não importando quantidade de cores ou técnica. Então o que vale dinheiro, no fim das contas? O desenho original, ou uma das centenas de cópias? Você pode comprar uma reprodução de qualquer obra de Van Gogh e colocar na parede, afinal.

A tecnologia banaliza o trabalho, o que por sinal acaba por tornar o trabalho do artista algo muito mais caro e exclusivo. Mas vou deixá-los com essa questão, então por favor, comente.

Mais para frente, vou retornar a estas questões, valeu!

Riven tem a arte como motivadora, a música como inspiração e o planejamento como instituição. Esta junção dos dois hemisférios do cérebro garantem uma abordagem diferenciada e eficiente na resolução de tarefas e problemas.